domingo, 3 de junho de 2012

Desenho de “Tintin na América” vendido por 1,3 milhões de euros


O original de um desenho de Hergé da aventura “Tintin na América” foi vendido em Paris, neste sábado, por um preço recorde de 1.338.509 euros, mais de 500 mil euros acima do preço a que tinha sido vendido em 2008. 
A ilustração do artista belga, de 32 centímetros quadrados, pintado a tinta-da-china e a guache, mostra o jovem repórter vestido de cowboy, acompanhado pelo cão, Milou, com um grupo de nativos a aproximar-se de si durante uma emboscada.
Tal como o anterior dono da obra, a identidade do comprador é desconhecida, informou a Artcurial, a empresa que intermediou a venda.
A primeira edição de “Tintin na América” foi publicada em 1932 no Petit Vingtième, o suplemento infantil do jornal belga Le Vingtième Siècle. Dois anos mais tarde, seguiu-se a publicação pelas edições OgéO e, em 1935, pela editora franco-belga Casterman.
Só existem cinco exemplares de pinturas em guache a cor das aventuras de Tintin. Dois pertencem a colecções privadas, uma das quais a que foi agora vendida. As outras são da Fundação Moulinsart (Bélgica).
É a terceira vez que a Artcurial, que classificou a obra como “mítica”, organiza uma sessão inteiramente consagrada a Hergé – neste sábado foram vendidas outras obras, entre as quais uma colecção de cerca de 80 álbuns da aventura “Tintin no país dos sovietes” e “Tintin no Congo”.
Antes da venda de 2008 do mesmo exemplar, o recorde anterior para uma banda desenhada era de um desenho de Enki Bilal, comprado por 177.000 euros em Março de 2007.

In Público