quarta-feira, 29 de junho de 2011

segunda-feira, 27 de junho de 2011

Editora Record


A editora brasileira Record, com sede no Rio de Janeiro, foi a segunda editora, a seguir à Flamboyant, a publicar as aventuras de Tintin. Corria a década de 70 do século XX. As primeiras edições foram cartonadas, com lombada de tecido e, posteriormente, com lombada de cartão. Mais tarde, as edições são em capa mole, havendo uma edição numerada.
Paralelamente, a Record publicou Álbuns de Colorir Tintim (duas séries com quatro volumes cada), dois livros de jogos («Diversões de Tintim na Sildávia» e «Diversões de Tintim em Moulinsart») e dois álbuns de Tintim no cinema («Tintim e as laranjas azuis» e «Tintim e o mistério do tosão de ouro».

A edição numerada tem a seguinte cronologia:

#1 - A estrela misteriosa (CT/B/B#)
#2 - O cetro de Ottokar (B/B#)
#3 - Tintim na América (B/B#)
#4 - A ilha negra (versão de 1942 -CT/B/B#)
#5 - As 7 bolas de cristal (CT/B/B#)
#6 - O templo do sol (CT/B/B#)
#7 - Tintim na África (B/B#)
#8 - Tintim e o lago dos tubarões (B/B#)
#9 - O segredo do Licorne (CC/B/B#)
#10 - O tesouro de Rackham, o Terrível (B/B#)
#11 - Tintim e as laranjas azuis (B/B#)
#12 - Tintim e o mistério do tosão de ouro (B/B#)
#13 - Rumo à Lua (CC/B/B#)
#14 - Explorando a Lua (CT/CC/B/B#)
#15 - Tintim no Tibete (CC/B/B#)
#16 - Os charutos do faraó (B/B#)
#17 - Perdidos no mar (CC/B/B#)
#18 - Vôo 714 para Sidnei (CC)
#19 - Tintim e os tímpanos
#20 - As jóias de Castafiore (CC)/(B#)
#21 - O caso Girassol (CC/B/B#)
#22 - Tintim no país do ouro negro (CC/B/B#)
#23 - O loto azul (CC/B/B#)
#24 - A orelha quebrada (B/B#)
#25 - O caranguejo das tenazes de ouro (B/B#)

(B) - capa mole; (CT) - Cartonado com lombada de tecido; (CC) - Cartonado com lombada de cartão; (B#) - capa mole numerado

domingo, 26 de junho de 2011

Mailing Verbo Postal





Nos últimos anos da licença de distribuição em Portugal da obra de Hergé, a Verbo fez uma campanha em mailing postal para venda da colecção de álbuns das aventuras de Tintin. Uma das peças do mailing era um grande brochura A3 com 8 páginas, em que incluía uma pequena biografia de Hergé e Tintin, algumas curiosidades, os personagens, um resumo de cada episódio e um teste tintinófilo. A Verbo também fez circular como encarte de imprensa um desdobrável, em formato A4, com grande parte dos textos e imagens da brochura A5.

Oestescutista


O Oestescutista #128 de Julho/Agosto/Setembro de 2004 (Publicação periódica do Núcleo do Oeste do Corpo Nacional de Escutas) publicou na sua capa um desenho de Hergé representando Tintin, fardado de escuteiro, acompanhado por Milou.

sábado, 25 de junho de 2011

Catálogo de Exposição - Os 75 Anos de Tintin


De 4 a 27 de Setembro de 2004 decorreu no Museu Municipal do Bombarral uma exposição de livros, revistas e objectos relacionados com Tintin, comemorando-se os 75 anos do herói.
Pela ocasião, foi editado uma brochura A5 de doze páginas como catálogo do evento.

Loto Sumol


O refrigerante Sumol e a revista Tintin lançaram nos anos 80 do século XX um loto em que as peças eram as caricas das garrafas Sumol e os cartões eram oferecidos no interior da revista Tintin. O jogo era constituído por 72 cápsulas com os heróis da revista Tintin e por seis cartões. No que diz respeito ao nosso herói, havia seis caricas (uma por cartão) com as personagens das aventuras do Tintin:
Nº 1 - Tintin
Nº 13 - Capitão Haddock
Nº 25 - Milou
Nº 37 - Tournesol
Nº 49 - Dupont I
Nº 61 - Dupont II

Os criadores do loto, ou para facilitar a leitura ou por desconhecimento, não diferenciaram os nomes dos gémeos detectives: Dupond e Dupont.







Tintin no jornal «Comércio do Porto»


O jornal Comércio do Porto (1854-2005) publicou, em pranchas ou meias-pranchas semanais a cores. Publicou os episódios «Objectivo Lua» e «Explorando a Lua» (desconhecemos se na totalidade) entre 24 de Fevereiro de 1974 e 5 de Junho de 1975.

Tintin no jornal «Diário de Notícias»






























O Diário de Notícias, fundado em 1864, é um dos jornais matutinos e de referência em Portugal. O jornal Diário de Notícias publicou nos anos 70 do século XX as aventuras do Tintin em tiras de fim de página. «As aventuras de Tim-Tim» foram devidamente anunciadas no vespertino dos dias 5, 6 e 7 de Dezembro de 1971. O jornal publicou os seguintes episódios:
  • O mistério da orelha quebrada (A orelha quebrada) - 08.12.1971 a 11.04.1972
  • A estrela misteriosa - 16.04.1972 a 18.08.1972
  • Mistério no Tibete (Tintin no Tibete) - 17.09.1972 a 18.01.1973
  • O caso do invento Secreto (O caso Girassol) - 21.01.1973 a 21.05.1973
  • O segredo da «Flor do Mar» (O segredo do Licorne) - 26.05.1973 a 23.09.1973
  • O tesouro do pirata (O tesouro de Rackham, o Terrível) - 26.09.1973 a 27.01.1974
  • A ilha negra - 01.02.1974 a 07.06.1974
  • As 7 bolas de cristal - 08.06.1974 a 28.10.1974
  • O templo do sol - 29.10.1974 a 27.03.1975
  • O mistério das latas de conserva (O caranguejo das tenazes de ouro)
  • Tim-Tim na Lua (Rumo à Lua) - 08.03.1981 a 30.05.1982







(as ilustrações foram retirada da revista BDJornal #27, de um artigo do estudioso Leonardo de Sá)

domingo, 19 de junho de 2011

O caso da arma Secreta




L'affaire Tournesol foi publicado pela primeira vez em Portugal na revista Cavaleiro Andante nº 270 de 2 de Março de 1957, tendo terminado no nº 331 de 3 de Maio de 1958 (não foi publicado no nº 311). À excepção de um prancha, toda a aventura foi publicada em quadricromia. Por lapso editorial, as as pranchas 31 e 32 saíram trocadas, tendo a última sido publicada no nº 300 (28.09.1957) e a prancha 31 no nº 301 (05.10.1957).
A partir da prancha nº 59 (Cavaleiro Andante nº 328), as legendas passam a ser escritas manualmente, substituíndo as legendas tipográficas.

As normas do Estado Novo para a publicação de literatura juvenil impunham, por vezes, a tradução para português dos nomes próprios. Nesta aventura, podemos descobrir algumas dessas traduções:


Branca Flor (Bianca Castafiore)


O Talho Sanzot passa a Talho Carneiro Guizado

O lugar de Moulinsart passa ao portuguesíssimo Mil Moinhos, apesar de mais tarde a tradução voltar ao nome de Moulinsart. O professor Girassol/Tournesol é o senhor Pintadinho.












O professor Topolino (Rato Mickey em italiano) é, na versão do Cavaleiro Andante, professor Ratola. Contudo, mais tarde, no anúncio do jornal, Ratola volta novamente a Topolino.


Milou (cadela na versão do Cavaleiro Andante) é a meiga Rom-Rom.





O valente Capitão Haddock tem o nome simpático de Capitão Rosa.
Finalmente, Dupont e Dupond passam a Zig e Zag.

quinta-feira, 16 de junho de 2011

Livros de colorir Tintim


A Verbo Publicações Periódicas editou na década de 90 do século XX dois cadernos de colorir com imagens das aventuras do Tintim.

terça-feira, 14 de junho de 2011

Tintin no mar - Livro com autocolantes reutilizáveis




Livro com autocolantes reutilizáveis.

Edições Asa, Porto - 2003, 16 páginas, Cor, Brochura

Tintin em Moulinsart - Livro com autocolantes reutilizáveis



Livro com autocolantes reutilizáveis.

Edições Asa, Porto - 2003, 16 páginas, Cor, Brochura
A Difusão Verbo editou em 2006 um livro de jogos do Tintim. Trata-se da tradução do álbum-jeux recentemente editado pela Moulinsart.
Cartonado e com 68 páginas, o álbum contém inúmeros jogos didácticos, utilizando-se as personagens das aventuras de Tintim.`Aproveitando algumas cenas bem apanhadas dos álbuns do nosso tão conhecido Tintim, este livro desenvolve uma série de actividades lúdicas que vão fazer as delícias das crianças... e dos pais! O livro contém adivinhas, caça ao tesouro, jogos de tabuleiro e enigmas, ensina a desenhar o Tintim, testa o conhecimento dos leitores acerca das personagens e locais onde decorrem as aventuras, ensina lugares e trajes típicos, revela como se podem pregar umas partidas. Além da parte lúdica, este livro explica também alguns temas de cultura geral como religiões, astronomia, vida na selva, vida no deserto, radiestesia, entre muitas outras curiosidades.

A última entrevista de Hergé a Portugal

A última entrevista feita a Hergé por um português foi realizada por Luiz Beira, sendo publicada na extinta revista «O Mosquito» (V Série - nº 6) de Março de 1985. A entrevista fora realizada em 15 de Dezembro de 1982.
Luiz Beira já havia entrevistado o criador de Tintin em Outubro de 1966 nos Estúdios Hergé em Bruxelas, cujo trabalho foi publicado na «Plateia» nº 360 de 13 de Dezembro de 1966, revista de cinema e espectáculos da extinta Agência Portuguesa de Revistas.

segunda-feira, 13 de junho de 2011

Tintin nas Pastilhas Pirata

As extintas pastilhas Pirata editaram nos anos 80 uma colecção de envólucros com a reprodução de sete personagens do Tintin. Hoje são verdadeiras peças de colecção.










domingo, 12 de junho de 2011

Joana, João e o Macaco Simão


Série de ficção-científica e humor concebida em 1936 para o semanário Coeurs Vaillant que relata as aventuras dos dois filhos da família Legrand e do seu dotado macaco. Em Portugal, a série foi publicada no semanário Zorro, nos anos 60, e uma década mais tarde no suplemento do jornal «A Capital» Quadradinhos (1ª série).
Os cinco álbuns da série foram editados nos anos 80 pela Difusão Verbo (Lisboa).

Os portugueses na carreira de Tintin: o representante do jornal Diário de Lisboa


No «Tintim no Congo», Tintim é assediado por três representantes de jornais, em que um é português em representação do extinto vespertino «Diário de Lisboa». Curioso que na versão da Difusão Verbo a soma de 50.000 escudos é aumentada em um zero (500.000$00). A inflação a isso obrigou...
Na versão d' «O Papagaio», o representante do «Diário de Lisboa» é substituído por um emissário brasileiro do jornal «A Tarde». Como Tintim, no Papagaio, era um jornalista português, não seria elegante ser subornado por um jornal português....