As aventuras do Tintin em Portugal

#1. Tintin no país dos sovietes (Tintin au pays des soviets)


É a primeira aventura de Tintin, iniciada em 10 de Janeiro de 1929 no «Le Petit Vingtiéme» e é a única totalmente a preto e branco. Trata-se do único episódio que não sofreu qualquer nova versão da parte de Hergé por a considerar demasiado política. Relata as aventuras de Tintin e Milou na Rússia, denunciando e ridicularizando o regime comunista dos sovietes.

Álbuns: Difusão Verbo (Lisboa, 1999) (C); Difusão Verbo (edição facsimilada, Lisboa, 1999) (C); Público (Lisboa, 2004) (B#); ASA (Lisboa, 2010) (16x22 C#)

Revistas: Tintin #12/15º ano de 31 de Julho de 1982 ao #21/15º ano de 02 de Outubro de 1982
o episódio ficou incompleto devido à extinção da revista





#2. Tintin no Congo (Tintin au Congo)


A primeira versão desta aventura iniciou-se em 5 de Maio de 1930 no «Le Petit Vingtiéme». Foi reformulada em 1942. O director do jornal, o abade Abbott Wallez convence Hergé a enviar Tintin ao então Congo belga para retratar o trabalho dos missionários naquela colónia. Tintin viaja ao Congo e envolve-se num conjunto de peripécias com o seu amigo Coco, tentando escapar às armadilhas de Stowaway e Gibbons. A editora Record teve uma edição com o título «Tintim na África».

Álbuns: Record (Rio de Janeiro, 1975); Difusão Verbo (Lisboa, 1996) (C); Círculo de Leitores (Lisboa, 2000); Público (Lisboa, 2003) (B#), ASA (Lisboa, 2010) (16x22 C#); Globo Livros (edição facsimilada) (São Paulo, 2016) (C)

Revistas: O Papagaio #209 de 13 de Abril de 1939 ao #244 de 14 de Dezembro de 1939 («Tintin em Angola»); Tintin #35/13º ano de 10 de Janeiro de 1981 ao #13/14º ano de 08 de Agosto de 1981


#3. Tintin na América (Tintin en Amérique)


Inicialmente publicada no «Le Petit Vingtiéme» a partir de 3 de Setembro de 1931. Foi reformulada e colorida em 1945. Tintin descobre a América dos gangsters e de Al Capone (será a única personagem verdadeira de todas as aventuras). Percorre os cenários de Chicago e do Oeste americano, tentando contrariar as armadilhas de Bobby Smiles. Tintim triunfa prendendo 335 gangsters e regressa vitorioso à Europa.


Álbuns: Record (Rio de Janeiro, 1970); Difusão Verbo (Lisboa, 1995) (C); Círculo de Leitores (Lisboa, 2000); Público (Lisboa, 2003) (B#), ASA (Lisboa, 2010) (16x22 C#); ASA (edição fac similada) (Lisboa, 2011); Globo Livros (edição facsimilada) (São Paulo, 2016) (C)

Revistas: O Papagaio #53 de 16 de Abril de 1936 ao #110 de 20 de Maio de 1937 («Tintim na América do Norte»); Cavaleiro Andante #210 de 7 de Janeiro de 1956 ao #269 de 23 de Fevereiro de 1957 («Tintim na América do Norte»); ; Tintin #32/4º ano de 1/1/1972 ao #10/5º ano de 29/7/1972



#4. Os charutos do faraó (Les cigares du pharaon)


A primeira versão foi publicada no «Le Petit Vingtiéme» em 1932. Teve uma nova versão colorida e reduzida em 1955. Tintin embarca para o Oriente e envolve-se com o egiptólogo Philémon Silicone que o conduz a um túmulo egípcio, descobrindo uns misteriosos cigarros. É raptado e levado para a Arábia e, posteriormente, para a Índia, onde desmascara uma rede de traficantes de ópio através dos cigarros misteriosos. Entram, pela primeira vez, os criminosos Allan e Rastapopoulos.

Álbuns: Flamboyant (São Paulo, 1967) (CP); Record (Rio de Janeiro, 1970); Difusão Verbo (Lisboa, 1994) (C); Círculo de Leitores (Lisboa, 1999); Público (Lisboa, 2003) (B#); Difusão Verbo (fac-simile) (Lisboa, 2003), Companhia das Letras (São Paulo, 2005), ASA (Lisboa, 2010) (16x22 C#); Globo Livros (edição facsimilada) (São Paulo, 2016) (C)
Revistas: O Papagaio #115 de 24 de Junho de 1937 ao #161 de 12 de Maio de 1938; Tintin #11/5º ano de 5 de Agosto de 1972 ao 41/5º ano de 3 de Março de 1973



#5. O lótus azul (Le lotus bleu)


Iniciada em 9 de Agosto de 1934 no «Le Petit Vingtiéme». foi reformulada e colorida em 1946. Nesta aventura, continuação dos «Os cigarros do faraó», Tintin volta a enfrentar o gang do ópio em plena guerra entre os japoneses e os chineses. Considerado um dos melhores episódios, com uma documentação bem elaborada dos costumes chineses e da ocupação japonesa, Hergé teve a a ajuda do artista chinês, radicado na Bélgica, Tchang-Tchong Jen que lhe transmitiu bastante documentação e informações. Em sua honra, Hergé dedica-lhe o personagem Tchang, um jovem chinês que ajudará Tintin na luta contra o mal.

ÁlbunsFlamboyant (São Paulo, 1967) (CP); Record (Rio de Janeiro, 1970); Difusão Verbo (Lisboa, 1994) (C); Círculo de Leitores (Lisboa, 1999); Público (Lisboa, 2003) (B#); Companhia das Letras (São Paulo, 2005), ASA (Lisboa, 2010) (16x22 C#)

Revistas: O Papagaio #166 de 16 de Junho de 1938 ao #205 de 16 de Março de 1939; Cavaleiro Andante (Lisboa, 1958); Tintin #42/5º ano de 10 de Março de 1973 ao 20/6º ano de 6 de Outubro de 1973



#6. A orelha quebrada  (L'oreille cassée)

Teve o seu início no «Le Petit Vingtiéme» em 5 de Dezembro de 1935. Foi colorida e reformulada em 1943. Tintim embarca para a América do Sul, para a república de San Teodoros, em busca de tótem arumbaya que foi roubado de um museu na Europa. De caminho, Tintim ajuda o general Alcazar na sua guerra contra o Nuevo Rico. Esta guerra servirá como denúncia do conflito real entre o Paraguai e a Bolívia pela posse do «Gran Chac». No final, Tintim consegue recuperar o tótem arumbaya. As edições brasileiras optaram pelo título «O ídolo roubado».

ÁlbunsFlamboyant (São Paulo, 1967) (CP); Record (Rio de Janeiro, 1970); Difusão Verbo (Lisboa, 1993) (C) ; Círculo de Leitores (Lisboa, 2000); Público  (Lisboa, 2004) (B#); Companhia das Letras (São Paulo, 2005); ASA (Lisboa, 2010) (16x22 C#)

Revistas: O Papagaio (1ª versão, Lisboa, 1940, «Tintim e o mistério da orelha quebrada») #247 de 4 de Janeiro de 1940 ao #298 de 26 de Dezembro de 1940; Tintin #21/6º ano de 13/10/1973 ao 51/6º ano de 11/5/1974

Jornais: Diário de Notícias (8 de Dezembro de 1971 a 11 de Abril de 1972)



#7. A ilha negra  (L'île noire)

Estreou-se no «Le Petit Vingtiéme» em 15 de Abril de 1937. Este episódio foi reformulado por duas vezes (1943 e 1966). Tintin envolve-se com um gang de falsificadores de moeda e terá de deslocar-se à Escócia para o seu desmantelamento. O gang do bandido Muller habita numa pequena ilha com um castelo guardado por um grande gorila. Tintin e Milou voltam a triunfar e conseguem domesticar o volumoso gorila. A editora brasileira Flamboyant publicou a versão de 1943.

ÁlbunsFlamboyant (São Paulo, 1961) (Versão de 1943) (CP); Record (Rio de Janeiro, 1969) (versão de 1943) (CP); Record (Rio de Janeiro, 1970); Difusão Verbo (Lisboa, 1988) (C); Círculo de Leitores (Lisboa, 2001); Público (Lisboa, 2003) (B#); Companhia das Letras (São Paulo, 2005); ASA (Lisboa, 2010) (16x22 C#)

Revistas: O Papagaio (1ªversão, Lisboa, 1941, «Tintim na ilha negra») #301 de 16 de Janeiro de 1941 ao #359 de 26 de Fevereiro de 1942 ; Tintin #52/6º ano de 18 de Maio de 1974 ao #30/7º ano de 14 de Dezembro de 1974

Jornais: Diário de Notícias (01 de Fevereiro de 1974 a 07 de Junho de 1974)



#8. O ceptro de Ottokar  (Le sceptre de Ottokar)

Apareceu no «Le Petit Vingtiéme» a 4 de Agosto de 1938 com o título «Tintim na Sildávia». Criando dois países fictícios (Sildávia e Bordúria), Hergé retrata a actualidade europeia do pró-II Grande Guerra. Tintin recupera o ceptro das mãos dos bordúrios, permitindo que o rei sildavo governe, impossibilitando a anexação da Sildávia pela Bordúria. Tintin torna-se herói nacional sildavo. Estreia-se nas aventuras de Tintin a diva Bianca Castafiore.

ÁlbunsFlamboyant (São Paulo, 1961) (CP); Record (Rio de Janeiro, 1970); Difusão Verbo (Lisboa, 1988) (C); Círculo de Leitores (Lisboa, 2001); Público (Lisboa, 2003) (B#); Companhia das Letras (São Paulo, 2006); ASA (Lisboa, 2010) (16x22 C#)

Revistas: Diabrete (1ª versão, Lisboa, 1949) #594 de 9 de Março de 1949 ao #701 de 18 de Março de 1950; Tintin #31/7º ano de 21 de Dezembro de 1974 ao #9/8º ano de 19 de Julho de 1975



#9. O caranguejo das tenazes de ouro  (Le crabe aux pinces d'or)


É publicado no «Le Soir Jeunesse» a partir de 17 de Outubro de 1940. Em 1944, é recolorido o episódio. Mais uma vez Tintin se vê envolvido com gangs de traficantes de ópio. Reencontra Allan e encontra pela primeira vez o Capitão Haddock.

ÁlbunsFlamboyant (São Paulo, 1961) (CP); Record (Rio de Janeiro, 1970); Difusão Verbo (Lisboa, 1989) (C); Círculo de Leitores (Lisboa, 2001); Público  (Lisboa, 2004) (B#); Companhia das Letras (São Paulo, 2006); ASA (Lisboa, 2010) (16x22 C#)

Revistas: O Papagaio (1ª versão, Lisboa, 1942; «Tintim no deserto») #366 de 16 de Abril de 1942 ao #426 de 10 de Junho de 1943 ; Tintin #10/8º ano de 26 de Julho de 1975 ao #40/8º de 21 de Fevereiro de 1976

Jornais: Diário de Notícias (Lisboa, 1975)



#10. A estrela misteriosa (L'étoille mystérieuse)

Publicado no «Le Soir» a partir de 20 de Outubro de 1941. Um grande meteorito aproxima-se da Terra e pode causar o fim do Mundo. Contudo, apenas cai um pequeno aerolito junto ao Pólo Ártico. Tintin, acompanhado de vários cientistas e do Capitão Haddock, tenta alcançar em primeiro lugar o meteorito, escapando a algumas armadilhas dos seus adversários. O barco de Tintin ganha a corrida e os nossos heróis alcançam, arriscando as suas vidas, o meteorito. Com esta disputa, Hergé quer retratar a corrida do desembarque na Normandia entre europeus e norte-americanos.

ÁlbunsFlamboyant (São Paulo, 1961) (CP); Record (Rio de Janeiro, 1969) (CP); Record (Rio de Janeiro, 1969); Difusão Verbo (Lisboa, 1989) (C); Círculo de Leitores (Lisboa, 2001) (CD); Público (Lisboa, 2003) (B#); Companhia das Letras (São Paulo, 2006) (C); ASA (Lisboa, 2010) (16x22 C#)

Revistas: O Papagaio (1ª versão, Lisboa, 1943) #435 de 12 de Agosto de 1943 ao #540 de 16 de Agosto de 1945; Tintin #42/9º ano de 5 de Março de 1977 ao #19/10º ano de 24 de Setembro de 1977

Jornais: Diário de Notícias (16 de Abril de 1972 a 18 de Agosto de1972)



#11. O segredo do Licorne (Le secret du Licorne)


Publicado no «Le Soir» a partir de 11 de Junho de 1942. Tintin compra numa feira de antiguidades um pequeno barco que Haddock descobre ser uma réplica de uma galera de um seu antepassado, proprietário de um grande tesouro. O barco contém um pequeno pergaminho de um conjunto de três. Na posse dos três pergaminhos, os nossos heróis partem em busca do tesouro, cuja aventura é retratada no episódio seguinte.

ÁlbunsFlamboyant (São Paulo, 1961) (CP); Record (Rio de Janeiro, 1970); Difusão Verbo (Lisboa, 1990) (C);  Círculo de Leitores (Lisboa, 2000); Público (Lisboa, 2003) (B#); Companhia das Letras (São Paulo, 2006); ASA (Lisboa, 2010) (16x22 C#); Companhia das Letras (São Paulo, 2011) (CD)

Revistas: O Papagaio (1ª versão, Lisboa, 1947) #617 de 6 de Fevereiro de 1947 ao #679 de 15 de Abril de 1948 ; Tintin #20/10º ano de 1/ de Outubro de 1977 ao #45/10º ano de 25 de Março de 1978)

Jornais: Diário de Notícias «O segredo da «Flor do Mar»» (26 de Maio de 1973 a 23 de Setembro de 1973); O Independente (Lisboa, 1993);



#12. O tesouro de Rackham, o Terrível (Le trésor de Rackham, le Rouge)

Continuação do episódio anterior, em busca do tesouro de Rackham. Estreia-se o Professor Girassol, que com a decifração do enigma dos pergaminhos e as suas invenções, ajuda os heróis em busca do objectivo.

ÁlbunsFlamboyant (São Paulo, 1961) (CP); Record (Rio de Janeiro, 1970); Difusão Verbo (Lisboa, 1990); Círculo de Leitores (Lisboa, 2000) (C); Público (Lisboa, 2003) (B#); Companhia das Letras (São Paulo, 2006); ASA (Lisboa, 2010) (16x22 C#);  Companhia das Letras (São Paulo, 2011) (CD)

Revistas: Diabrete (Lisboa, 1950; «O tesouro do cavaleiro da Rosa) #703 de 25 de Março de 1950 ao #806 de 21 de Março de1951 ; Tintin #46/10º ano de 1 de Abril de 1978 ao #24/11º ano de 28 de Outubro de 1978

Jornais: Diário de Notícias, «O tesouro do pirata» (26 de Setembro de 1973 a 27 de Janeiro de 1974); O Independente (Lisboa, 1993)



#13. As sete bolas de cristal (Les sept boules de cristal)


Publicado inicialmente no «Le Soir» desde 16 de Dezembro de 1943. Os membros de uma expedição inca entram em letargia profunda através do rebentamento de bolas de cristal. O professor Girassol, na posse de uma pulseira inca, é raptado, obrigando Tintin, Milou e Haddock a viajarem até ao Peru em sua procura. Este episódio tem continuação no seguinte.

ÁlbunsFlamboyant (São Paulo, 1965) (CP); Record (Rio de Janeiro, 1969) (CP); Record (Rio de Janeiro, 1969); Difusão Verbo (Lisboa, 1990) (C); Círculo de Leitores (Lisboa, 2001) (CD); Público (Lisboa, 2004) (B#); ASA (Lisboa, 2011) (16x22 C#)

Revistas: Diabrete #809 de 31 de Março de 1951 ao #887 de 29 de Dezembro de 1951; Tintin #25/11º ano de 4 de Novembro de 1978 ao #3/12º ano de 2 de Junho de 1979

Jornais: Diário de Notícias ( 08 de Junho de 1974 a 28 de Outubro de 1974); O Independente (Lisboa, 1993)



#14. O templo do sol (Le temple du soleil)

É o primeiro episódio a ser publicado originalmente na revista «Tintin» belga (26 de Setembro de 1946). Continuação do episódio anterior, onde os nossos heróis, com a ajuda do pequeno andino Zorrino, conseguem resgatar Girassol e retirar da letargia os membros da expedição. Contudo, não fosse a perspicácia do nosso herói, aproveitando-se de um eclipse solar, seriam todos sacrificados no Templo do Sol.

ÁlbunsFlamboyant (São Paulo, 1965) (CP); Record (Rio de Janeiro, 1969) (CP); Difusão Verbo (Lisboa, 1990) (C); Círculo de Leitores (Lisboa, 2001); Público (Lisboa, 2004) (B#); ASA (Lisboa, 2011) (16x22 C#)

RevistasCavaleiro Andante #1 de 5 de Janeiro de 1952 ao #27 de 5 de Julho de 1952) (continuou no suplemento «O Pajem»);  O Pajem do #1 de 5 de Julho de 1952 ao #86 de 22 de Agosto de 1953); Tintin #4/12º ano de 9 de Junho de 1979 ao #37/12º ano de 26 de Agosto de 1980

Jornais: Diário de Notícias ( 29 de Outubro de 1974 a 27 de Março de 1975); O Independente (Lisboa, 1993)



#15. Tintin no país do ouro negro (Tintin au pays l'or noir)

Teve uma primeira versão no «Le Petit Vingtiéme» desde 25 de Setembro de 1940, mas foi interrompida em 8 de Maio de 1940. A segunda versão aparece no «Tintin» belga a partir de 16 de Setembro de 1948. A luta entre as grandes companhias petrolíferas é o argumento principal do episódio. Mais uma vez encontra Muller, que a mando de uma companhia petrolífera tenta sabotar os seus rivais, através da adulteração da gasolina.

ÁlbunsFlamboyant (São Paulo, 1967) (CP); Record (Rio de Janeiro, 1969); Difusão Verbo (Lisboa, 1990) (C); Círculo de Leitores (Lisboa, 2001); Público (Lisboa, 2004) (B#); ASA (Lisboa, 2011) (16x22 C#)

RevistasTintin (Porto, 1980)

Jornais:  O Independente (Lisboa, 1994)



#16. Rumo à Lua (Objectif Lune)

Começou a publicar-se em 30 de Março de 1950 na revista «Tintin». Dezanove anos antes da chegada do homem à Lua, Hergé prepara a primeira visita de Tintin ao satélite da Terra. O episódio retrata todos os preparativos para a partida do foguetão e as diversas tentativas de sabotagem, metaforizando a luta das duas potências pela conquista do espaço.

Álbuns: Record (Rio de Janeiro, 1970); Difusão Verbo (Lisboa, 1991) (C); Círculo de Leitores (Lisboa, 1999); Público (Lisboa, 2003) (B#); Correio da Manhã (Lisboa, 2003); ASA (Lisboa, 2011) (16x22 C#)

Revistas: Cavaleiro Andante (Tim-Tim na Lua) (Rumo à Lua+Explorando a Lua) #94 de 17 de Outubro 1953 ao #209 de 31/12/1955; Tintin #27/3º ano de 29 de Novembro de 1970 ao #52/3º ano de 22 de Maio de 1971

Jornais: O Comércio do Porto (Rumo à Lua+Explorando a Lua) (24 de Fevereiro de 1974 e 5 de Junho de 1975), Diário de Notícias (8 de Março de 1981 a 30 de Maio de 1982); O Independente (Lisboa, 1994)



#17. Explorando a Lua (On a marché sur la Lune)

Continuação do episódio anterior. Apesar de todos os contratempos, Tintin e os seus companheiros aterram na Lua.

ÁlbunsRecord (Rio de Janeiro, 1969) (CP); Record (Rio de Janeiro, 1970); Difusão Verbo (Lisboa, 1992) (C); Círculo de Leitores (Lisboa, 1999) (CD); Público (Lisboa, 2003) (B#); Correio da Manhã (Lisboa, 2003) (B); ASA (Lisboa, 2011) (16x22 C#)

RevistasCavaleiro Andante (Tim-Tim na Lua) (Rumo à Lua+Explorando a Lua) #94 de 17 de Outubro 1953 ao #209 de 31/12/1955; Tintin #1/4º ano de 29 de Maio de 1971 ao 31/4º ano de 25 de Dezembro de 1971)

JornaisO Comércio do Porto (Rumo à Lua+Explorando a Lua) (24 de Fevereiro de 1974 e 5 de Junho de 1975);  O Independente (Lisboa, 1994)



#18. O caso Girassol (L'affaire Tournesol)


Estreou-se no «Tintin» belga em Dezembro de 1955. O professor Girassol, inventor de uma arma destruidora de ultrasons, é raptado pelos Bordúrios. Tintin e Haddock partem para o resgatar. A história desenvolve-se na Suíça e é uma metáfora à guerra fria então existente, utilizando-se duas potências fictícias: a Bordúria e a Sildávia.

Álbuns: Record (Rio de Janeiro, 1970); Difusão Verbo (Lisboa, 1992) (C); Círculo de Leitores (Lisboa, 2001); Público (Lisboa, 2004) (B#); ASA (Lisboa, 2011) (16x22 C#)

Revistas: Cavaleiro Andante (O caso da arma secreta) #270 de 2 de Março de 1957 ao #331 de; Tintin (O caso Tournesol) #27/2º ano de 29 de Novembro de 1969 ao #52/2º de 23 de Maio de 1970

Jornais: Diário de Notícias (O caso do invento secreto) (21 de Janeiro de 1973 a 21 de Maio de 1973)



#19. Carvão no porão (Coke en stock)


Foi publicada no «Tintin» belga desde Outubro de 1956. O tráfico de armas e a escravatura são as principais denúncias desta aventura. Perdidos no mar, são recolhidos pelo barco de Rastotopoulos, onde conseguem descobrir tráfico humano e de armas. A versão brasileira da editora Record optou pelo título «Perdidos no mar».

Álbuns: Record (Rio de Janeiro, 1970); Difusão Verbo (Lisboa, 1992) (C); Círculo de Leitores (Lisboa, 2000); Público (Lisboa, 2003) (B#); ASA (Lisboa, 2011) (16x22 C#)

Revistas: Cavaleiro Andante (Os mercadores de ébano) #405 de 3 de Outubro de 1959 ao #466 de 3 de Dezembro de 1960); Tintin #1/1º ano de 1/6/1968 ao #26/1º ano de 23/11/1968






#20. Tintin no Tibete (Tintin au Tibet)


Aparece no «Tintin» belga a partir de Setembro de 1958. Considerada a história mais pessoal de Hergé, na altura com graves problemas psíquicos. Tchang é o único sobrevivente de um desastre aéreo nos Himalaias. Tintin e Haddock deslocam-se às geladas montanhas tibetanas em busca do amigo Tchang. Ajudados pela visão de um monge, conseguem salvar Tchang, à guarda do enorme Yeti.

Álbuns: Record (Rio de Janeiro, 1971); Difusão Verbo (Lisboa, 1992) (C); Círculo de Leitores (Lisboa, 2000); Público (Lisboa, 2003) (B#); Correio da Manhã (Lisboa, 2003); ASA (Lisboa, 2011) (16x22 C#)

Revistas: Foguetão #1 de 4 de Maio de 1961 ao #13 de 27 de Julho de 1961) (continua no «Cavaleiro Andante»); Cavaleiro Andante #516 de 18 de Novembro de 1961 ao #553 de 4 de Agosto de 1962); Tintin #1/2º ano de 31 de Maio de 1969 ao #26/2º ano de 26 de Novembro de 1969

Jornais: Diário de Notícias (Mistério no Tibete) (17 de Setembro de 1972 a 18 de Janeiro de 1973)



#21. As jóias de Castafiore (Les bijoux de Castafiore)


História publicada no «Tintin» belga a partir de Junho de 1961. Um enigma policial decorrido em Moulinsart com o desaparecimento das jóias da diva Castafiore.

Álbuns: Record (Rio de Janeiro, 1972); Difusão Verbo (Lisboa, 1992); Círculo de Leitores (Lisboa, 2000) (C); Público (Lisboa, 2003) (B#); ASA (Lisboa, 2011) (16x22 C#)

Revistas: Zorro (As jóias da prima-dona) #26 de 6 de Abril de 1963 ao #87 de 6 de Junho de 1964; Tintin #1/3º ano de 30 de Maio de 1970 ao 26/3ºano de 21 de Novembro de 1970




#22. Voo 714 para Sidney (Vol 714 pour Sidney)

Foi publicada desde Setembro de 1966 no «Tintin» belga. Os nossos amigos conhecem o milionário Carreidas que os leva no seu avião particular até Sidney. Contudo, o avião é desviado pelos amigos de Rastotopoulos para uma pequena ilha deserta com o objectivo de extorquirem dinheiro ao milionário. Os nossos heróis conseguem escapar através de um templo vulcânico, visitado por extra-terrestres, sendo salvos por um OVNI. Contudo, os nossos heróis são hipnotizados, não se recordando dos pormenores fantásticos da viagem.

ÁlbunsRecord (Rio de Janeiro, 1969) (CP); Record (Rio de Janeiro, 1970); Difusão Verbo (Lisboa, 1993) (C); Círculo de Leitores (Lisboa, 2001) (CD); Público (Lisboa, 2003) (B#); ASA (Lisboa, 2011) (16x22 C#)

RevistasTintin #27/1º ano de 30 de Novembro de 1968 ao 52/1º ano de 24 de Maio de 1969; Tintin (ed. brasileira) #1 a #26



#23. Tintin e os pícaros (Tintin et les picaros)

Última aventura acabada de Tintim, inicialmente publicada no «Tintim Hebdoptimiste» belga a partir de Setembro de 1975. Na república de San Teodoro, Haddock é acusado pelo general Tapioca de alta traição, sendo preso. Contudo, Tintin, com a ajuda do general Alcazar, consegue libertar o capitão e o professor Girassol. De seguida, ajudam Alcazar a destronar Tapioca do governo da república. Esta aventura metafora os inconsequentes golpes militares da América Latina. A edição brasileira da Record tem o título de «Tintim e os tímpanos»

Álbuns: Record (Rio de Janeiro, 1976); Difusão Verbo (Lisboa, 1993) (C); Círculo de Leitores (Lisboa, 2001); Público (Lisboa, 2004) ; ASA (Lisboa, 2011) (16x22 C#)

RevistasTintin #48/8º ano de 17 de Abril de 1976 ao #19/9º ano de 25 de Setembro de 1976



#23. Tintin e a alph-art (Tintin et l'alph-art)

Álbum que reproduz os diálogos e os esboços daquela que iria ser a 24ª aventura do Tintim. A história decorre num cenário de falsificadores de quadros.

ÁlbunsDifusão Verbo (Lisboa, 2004) (C); ASA (Lisboa, 2011) (16x22 C#)















#HS. Tintin e o lago dos tubarões (Tintin et le lac aux requins)

Álbum do filme de animação com o mesmo nome. Com argumentos de Greg e produção de Raymond Leblanc, o episódio conta uma aventura em que Rastotopoulos rouba uma máquina de duplicar objectos a Girassol. Tintin, com a ajuda de duas crianças (Niko e Nuxka), recupera a máquina, apesar dos vários perigos a que se sujeitam.

Álbuns: Record (Rio de Janeiro, 1975); Difusão Verbo (Lisboa, 1997); Público (Lisboa, 2004)

RevistasTintin #20/9º ano de 2 de Outubro de 1976 ao #41/9º ano de 26 de Fevereiro de 1977






(C) - cartonado
(CP) - cartonado com lombada de pano
(C#) - cartonado numerado
(CD) - cartonado álbum duplo
(B) - brochado
(B#) - brochado numerado
16x22 - formato A5