quinta-feira, 24 de outubro de 2013

Tintin terá novo livro até 2052

"Hergé não queria que outros criassem histórias novas com a personagem depois dele, mas lançaremos uma novidade um ano antes de a obra cair no domínio público", afirmou.

A editora belga Casterman e a empresa Moulinsart anunciaram esta semana que vão publicar até 2052 um novo livro protagonizado por Tintin, para evitar que os direitos da obra do autor de banda desenhada Hergé caiam no domínio público.

A Casterman e a Moulinsart, sociedade gestora dos direitos da obra do autor belga, chegaram a acordo e anunciaram que tencionam editar um livro novo antes de 2053, ano em que as personagens criadas por Hergé caem no domínio público, ou seja, setenta anos depois da morte do autor (falecido em 1983).

Com esta medida, evitam que outras pessoas possam apropriar-se das aventuras de Tintin e publicá-las como entenderem, afirmou Nick Rodwell, representante da Moulinsart, em entrevista esta semana aos jornais franceses Le Soir e Le Monde.

"Hergé não queria que outros criassem histórias novas com a personagem depois dele, mas lançaremos uma novidade um ano antes de a obra cair no domínio público", afirmou.

Nenhum dos responsáveis da Casterman e da Moulinsart adiantou o conteúdo do novo livro: "Temos 40 anos para pensar nisso", afirmou Fanny Rodwell, viúva de Hergé.

As últimas obras inéditas de Hergé foram "Tintin e os pícaros" (1976) e "Tintin e a Alpha Art", obra inacabada do autor, publicada em 1986.

AS 24 aventuras de banda desenhada de Tintin, o repórter belga mais famoso do mundo, estão editadas em Portugal pela ASA, do grupo Leya.

*Este artigo foi escrito ao abrigo do novo acordo ortográfico aplicado pela Agência Lusa

Sem comentários:

Publicar um comentário