domingo, 19 de junho de 2011

O caso da arma Secreta




L'affaire Tournesol foi publicado pela primeira vez em Portugal na revista Cavaleiro Andante nº 270 de 2 de Março de 1957, tendo terminado no nº 331 de 3 de Maio de 1958 (não foi publicado no nº 311). À excepção de um prancha, toda a aventura foi publicada em quadricromia. Por lapso editorial, as as pranchas 31 e 32 saíram trocadas, tendo a última sido publicada no nº 300 (28.09.1957) e a prancha 31 no nº 301 (05.10.1957).
A partir da prancha nº 59 (Cavaleiro Andante nº 328), as legendas passam a ser escritas manualmente, substituíndo as legendas tipográficas.

As normas do Estado Novo para a publicação de literatura juvenil impunham, por vezes, a tradução para português dos nomes próprios. Nesta aventura, podemos descobrir algumas dessas traduções:


Branca Flor (Bianca Castafiore)


O Talho Sanzot passa a Talho Carneiro Guizado

O lugar de Moulinsart passa ao portuguesíssimo Mil Moinhos, apesar de mais tarde a tradução voltar ao nome de Moulinsart. O professor Girassol/Tournesol é o senhor Pintadinho.












O professor Topolino (Rato Mickey em italiano) é, na versão do Cavaleiro Andante, professor Ratola. Contudo, mais tarde, no anúncio do jornal, Ratola volta novamente a Topolino.


Milou (cadela na versão do Cavaleiro Andante) é a meiga Rom-Rom.





O valente Capitão Haddock tem o nome simpático de Capitão Rosa.
Finalmente, Dupont e Dupond passam a Zig e Zag.