quarta-feira, 4 de maio de 2016

Obra de Tintin ultrapassa o milhão de euros em leilão

Uma dupla prancha original de Hergé, do álbum o Ceptro de Ottokar de 1939, superou largamente as estimativas iniciais, entre os 600 e os 800 mil euros, atingindo um valor de 1 046 300 euros.



O leilão abriu com a obra a 400 000 euros mas rapidamente se instalou uma feroz batalha entre quatro compradores, dois na sala e dois por telefone, e em menos de um minuto o preço estava já nos 700 000 euros. E não tardou sequer mais um minuto para que a obra fosse arrematada pelos tais 1 046 300 euros, por um dos compradores online (1 192 782 com custos incluídos).

A Fora de Série noticiou o leilão no passado dia 29, como pode ler aqui e entre os nossos destaques estava também uma aguarela e tinta da china do Tenente Blueberry, desenhada por Jean Giraud, para a capa do segundo tomo do álbum a Juventude de Blueberry, publicado em 1973. Estimava-se um valor entre os 55 e os 65 mil euros e chegou “apenas” aos 68 000. Ao contrário de outra prancha sua, do tomo 18, Nariz Partido, que foi vendida por 45 900, o dobro do inicialmente estimado. E isto enquanto mais uma prancha sua, A Feira dos Imortais, publicada sob o pseudónimo Moebius, atingia os 51 000 euros. Já o desenho de Corto Maltese em A Balada do Mar Salgado, de Hugo Pratt, outro dos nossos destaques, triplicava o valor, chegando aos 15 300 euros.

No total, foram vendidas mais de 75% das peças presentes a leilão, atingindo um valor total de 2 825 759 euros. Uma prova de como a Banda Desenhada se está a tornar num assunto muito sério para coleccionadores.

In Económico